Como dar entrada com a documentação do casamento?

O pedido aconteceu! Real! Oficial! Você agora é uma noiva que só consegue pensar naquele vestido dos sonhos, na paleta de cores da decoração, já está seguindo todos os fornecedores do Instagram e visitando os locais para decidir logo a data. Mas, espera aí… Será que não tem nada sendo esquecido aí pelo caminho? A PAPELADA do casamento! Sim, a parte mais chatinha e burocrática de se casar existe e nós estamos aqui para te contar por onde começar com a papelada do casamento, as melhores dicas de como dar entrada em todo o processo. Como dar entrada com a documentação do casamento?

Veja aqui os Diferentes rituais de cerimônias de casamento e seus significados!

Casamento civil

Casar no civil nada mais é que formalizar, nos termos da lei, o vínculo entre o casal. Ele é importante para legitimar os sentimentos e os deveres do casal, e também para acordar o compartilhamento de despesas, bens de consumo e, futuramente, dos filhos. Essa é a única parte do casamento indispensável, pois só ela oficializa legalmente a união do casal.

O primeiro passo sempre é reunir os documentos e ir ao cartório mais próximo da residência de um dos noivos. Thais Esmerini, assessora e proprietária da Princess Assessoria diz que a documentação, o prazo e os valores variam de cartório para cartório.

“Em geral, os noivos tem que levar a certidão de nascimento, o RG (em perfeitas condições, senão é preciso tirar um novo), um comprovante de endereço atualizado e duas testemunhas, que não podem ter grau de parentesco entre si. O ideal é dar entrada com pelo menos 30 dias da data desejada e os custos médios ficam em torno de R$400,00”, afirma Esmerini.

Casamento em diligência

Muita gente pensa que o casamento civil é apenas no cartório. Esse é o mais comum, mas há como casar no civil fora desse espaço, por meio do casamento em diligência, que pode ser no buffet, na praia, na residência, ou seja, no local onde for acontecer a sua festa.
Para levar o juiz de paz até o local planejado, custa-se mais caro. Em média R$1.200,00. Se você optar por esse formato, Esmerini tem duas dicas de ouro:

“Os juízes costumam ser MUITO pontuais, então atrasos estão fora de questão. O certo é marcar com o juiz uns 10 minutos antes da hora exata que você quer casar. Assim você não fica preocupada de o juiz ir embora e não realizar a cerimônia. A outra dica é: caso opte pelo juiz, contrate um mestre de cerimônia para fazer o término da cerimônia. O juiz é apenas para proclamas”.

Por fim, há ainda outra opção. Hoje existem celebrantes que tem o aval para fazer uma cerimônia com efeito civil. Se quiser optar pela praticidade, essa é a melhor decisão. Explicamos no post Celebrante ou juiz de paz?

Casamento religioso

Começaram os preparativos do casamento? Já decidiram o local? Sabem se será dentro de algum templo ou não? Se respondeu sim para algumas dessas perguntas, então o ideal é já se encaminhar à paróquia, salão ou igreja do seu bairro ou comunidade e pedir todas as informações.

“Há regras que devem ser respeitadas, transferências de documentos entre paróquias, algumas religiões não permitem que seus sacerdotes celebrem cerimônias fora do templo, então é bom checar tudo isso com bastante antecedência”, comenta Larissa Santos, da Seraphine Eventos.

Se você deseja casar na igreja católica, os documentos essenciais são: cópias do RG e CPF, comprovantes de residência de ambos os noivos, certidão do curso de noivos, fichas de duas testemunhas, maiores de 18 anos, com exceção dos pais e mães dos noivos; edital de cartório, que é um comprovante de que vocês já deram entrada no processo do casamento civil; e, por último, a certidão de batismo atualizada. Sim, precisa ser atualizada! Caso necessite tirar uma segunda via, basta ir à igreja onde você foi batizada ou na Cúria Metropolitana da cidade para o caso de não saber o local do batismo.
“Os custos de um casamento religioso ficam, normalmente, entre R$450,00 e R$2.500,00, mas há algumas igrejas mais disputadas, principalmente em São Paulo, que passam facilmente desses valores”, afirma Santos.

Casamento religioso com efeito civil

Essa é a opção mais prática! Vocês dão entrada no cartório, casam na igreja ou em qualquer outro local público, a portas abertas. Após a cerimônia, o padre, rabino, pastor, ou outro representante religioso fornece um Termo de Casamento, que deve ser encaminhado ao cartório em até 90 dias corridos para que seja feito o registro do casamento. Se esse procedimento não for feito dentro do prazo, a união não é oficializada e os noivos permanecerão solteiros.

A assessora Larissa Santos afirma que o casamento religioso com efeito civil tem muitos benefícios: praticidade na organização, otimização do tempo e, embora possa ter um custo maior em documentação, pode-se poupar com gastos extras.

“É provável que o casamento civil realizado no cartório fora da data do casamento religioso vire outro evento. Os noivos vão se preocupar com roupa, foto, um almoço ou jantar com a família, entre tantas outras coisas que podem surgir para este dia, afinal de contas, é um casamento. Então, se a palavra de ordem é praticidade, esta é a melhor opção”, diz Santos.

Está vendo? Nem é tão difícil assim. E se você optar por contratar os serviços de assessoria e cerimonial, eles te ajudam, inclusive, nessa parte mais burocrática do casamento. Portanto, mãos à obra!

Fonte

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário